No planejamento da nossa santidade os noivos devem agir como qualquer casado. É indispensável vermos como o esposo de Cantares de Salomão:

“Qual o lírio entre os espinhos, tal é a minha querida entre as donzelas.” Cantares 2:2

O esposo, o noivo considerava a sua esposa, a sua noiva como um lírio, e todas as demais mulheres como espinhos. O lírio pode ser contemplado, cheirado, tocado (com pureza é claro!). As demais mulheres são espinhos que podem ferir até mesmo matar.

Feliz o homem que descobriu que todas as demais mulheres são espinhos e só a sua esposa é um lindo lírio. Lírio que o Senhor o presenteou. Isso mesmo, não é apropriado nem ao noivo nem ao casado ficar elogiando ou apreciando outras mulheres. Sejam os teus olhos santos ao Senhor.

Que nosso elogio seja sempre pela graça de Cristo na vida de cada uma ou quanto muito de alguma coisa que esteja usando, como por exemplo um adereço. E, sempre junto com a esposa ou a noiva.

Fuja correndo de toda aparência do mal (1Ts 5.22). Cuide para não dar brechas para o inimigo tentar em áreas tão preciosas criadas pelo Senhor. Desta forma, você homem nunca receba uma mulher sem a presença de tua esposa. E você esposa nunca abra a porta para um homem quando seu esposo não estiver com você. É uma forma de defesa contra todo ataque maligno.

O que os olhos santo de um solteiro não devem ver não difere do que os olhos santos de um casado possa ver. O homem quando se casa pode ver sua esposa. Mas só quando se casa! Antes disso é impureza. As esposas devem ter o mesmo princípio: guardar seus olhos, seu corpo só para o esposo, e nada mais.

“A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada.” Provérbios 20:21

Somos herança do Senhor!

Print Friendly, PDF & Email
                  

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!