Uma das tarefas domésticas mais agradáveis para mim é cuidar do jardim. Limpar, podar, plantar, adubar e até mesmo aguar. Todas dão algum trabalho, nem difícil nem fácil. Agora molhar o jardim com a mangueira que temos… Leva a qualquer um pensar duas vezes. São 25 metros de um plásticos teimoso que dá nó e vira como quer e quando quer. Quantas e quantas vezes tenho que deixar a pistola d’água no chão, voltar e desfazer o nó ou os nós. E, quando mudo de lugar, lá vem o nó novamente… Tenho que recomeçar o mesmo procedimento, e muitas vezes.

Não desisto!

E, nesta tarefa perseverante, o Pai me mostrou algo muito interessante. Tão simples e firme que mudei completamente o meu coração, minha atitude. Não só em relação ao jardim, mas também com minha vida. Isto envolve não só os relacionamentos em geral, mas sobretudo o marido e mulher, a base para a família e para a igreja.

Molhar o jardim é para mim orar e clamar por cada um da família, por cada nome que surge em minha memória, cada situação que já ocorreu ou poderá ocorrer (Regar em Oração). Mas quando me movimento de um lado para o outro surgem os nós na mangueira. Aqui o Senhor começou a me mostrar a importância de voltar a traz, se humilhar, e recomeçar tantas vezes quantas forem necessárias.

O nó na mangueira deixa a água fraca e, por vezes, a interrompe completamente. Não consigo aguar. Assim somos nós: basta correr de um lado para o outro e surgem os nós nos relacionamentos. Nós que roubam nossa graça, que tiram a paz. Nós de mal entendidos, falta de compreensão nossa e de outros. Nós de expectativas frustradas no relacionamento conjugal. Nós de uma cara amarrada. Nós de uma risada fora do momento. Nós pelo cansaço. Nós de distração. Nós dos nós. Aja nó!

“Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.” (2 Cronicas 7:14).

Não é só molhar as plantas. Não é só orar. Necessitamos desatar os nós. Necessitamos nos humilhar diante de Deus e de quem for: esposa, marido, filhos, pais, irmãs e irmãos, amigos e, até mesmo diante daqueles que não são nada para nós. Mas todos estes são muito para Deus.

“Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.” Romanos 12:18.

Que cada nós seja desatado e desfeito, sem esperar que o outro dê algum retorno. Devemos fazer a nossa parte. O resto fica com nosso Pai.

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!