Nestes dias encontrei na internet um coral fascinante: Grande Coral Evangélico.  Sob a direção de Dorothéa Kerr, há uma grande coleção de hinos e cânticos de louvor e adoração ao Senhor, cantada em grande estilo e perfeição.

Ouvindo e me deliciando com belíssimas músicas, o Senhor me levou a ver o casamento e a família como um coral. No coral, os baixos, os barítonos, os tenores somados com as contraltos, as mezzos e as sopranos, devem estar em total harmonia. Ouvir as vozes separadamente é completamente diferente de quando estão juntas. Uma completa a outra. Cada voz se ajusta a outra. Um belo coral não se distingue o dono da voz de ninguém. É como se fosse um “vozerão”. O que importa é o todo, não o individualismo.

O casal que cresce conjugando o nós (não o você e eu) gerará uma família que também conjuga o nós. Somos uma família é bem diferente do somos marido, mulher e filhos. Quando um da família convida alguém para uma refeição, toda a família recebe junta. O amigo de um é amigo de todos. A alegria de um é de todos. A tristeza de um afeta a todos. São um. Fazem questão disso. Querem ser conhecidos assim.

Juntos têm um estilo de ser, seja qual for, mas são um. Separadamente têm suas características, mas preferem abrir mão delas para serem um. A harmonia é que importa. Importa que o Senhor reine sobre todos, que o Senhor seja glorificado. Importa que, mesmo com falhas, buscam o Senhor.

Cada vez mais desaparecem os corais e surgem homens e mulheres cantando isoladamente, sem bandas, sem corais. É a luta pela carreira solo. Também em algumas famílias há aqueles se isolam, preferindo viver suas independências.

“O solitário busca o seu próprio interesse e insurge-se contra a verdadeira sabedoria.” Provérbios 18:1.

Eu tenho preferido conjugar o nós. Prefiro corais  louvando ao Senhor. Prefiro apreciar o que conseguem juntos. Prefiro louvar juntos com os outros. Aproveite e medite na seguinte apresentação.

~ • ~

Tuas obras te coroam

Beethoven, Tema da 9ª Sinfonia — Ode a Alegria, 1824
Tradução de Isaac Nicolau Salum

Tuas obras Te coroam
Como um halo de esplendor:
Astros, anjos, céus, entoam
Hino eterno a Ti, Senhor!
Campos, matas, vales, montes,
Verde outeiro e verde mar,
Aves e sonoras fontes
Formam coro singular!

Nós, mortais, por Ti remidos,
Deus da glória, Deus de amor,
Corações aos céus erguidos
Celebramos Teu louvor.
Revelaste amor profundo,
Insondável, sem igual,
Enviando Cristo ao mundo,
A vencer por nós o mal!

Fonte és de alegria e vida,
És do bem o Inspirador:
Tua graça nos convida
A viver em mútuo amor.
Quais alegres peregrinos,
Sempre em marcha triunfal,
Cantaremos gratos hinos,
Na jornada, até o final!

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *