Se houver alguma benevolência em Satanás, diz com respeito a si mesmo.

Suas considerações para com qualquer outra criatura são do tipo mais malévolo possível. Ele observa maravilhado os santos quando considera a diferença de si mesmo e eles. O principal recurso de um coração traidor é crer que todos os homens traidores como ele. Ao ver um santo fiel a Deus, Satanás despreza-o, mas admira-se como este age dessa maneira.

Ele pensou ser melhor viver no inferno do que ser servo no céu.
Não manteve seu primeiro estado e não consegue entender como os santos mantêm. Ele era um vaso de ouro e foi quebrado. Não entende como não consegue quebrar vasos de barro. Admira-se com a felicidade dos santos, enquanto sua alma vive num mar de miséria e trevas.
Tem muitos servos. Mas todos vivem a mesma aflição dele. Enquanto observa e odeia a paz que reina na alma de um santo debilitado numa cama.

Tenta detectar falhas nos santos para consolar-se. Ri dos pecados ocultos e das inconsistências de fé. Isto o faz alegrar-se. Vê nos mais excelentes fiéis uma barreira para seu reino. Considera especialmente aqueles a quem Deus usa. São alvos de sua ação. Quanto mais o santo se aproxima de Deus, mas Ele se ocupa em ataca-lo. Ele busca obstinadamente que este fiel falhe entre os homens.

Ele quer destruir o santo. Se não conseguir, ele quer prejudicar. Gerar preocupações. Ele sabe que Deus não aceita nossas suspeitas e desconfianças. E que cristãos desolados desonram sua fidelidade.
Assim podem ser anulados e inutilizados

Sinterizado de Charles Spurgeon
Via Nen

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8