Nesses dias,algo que tem feito meu coração queimar. Tanto pela forma como Deus tem trazido memórias como pelos textos bíblicos vindos à minha mente. Como um renovo de algo que, talvez, havia se apagado dentro de mim e ou permanecido como uma distante lembrança. Pois ao longo de minha caminhada com Deus mantive o foco em outras coisas.

Olhei muito para mim mesma. Foquei no meu esforço para mudar meu coração, para compreender as coisas de Deus e as coisas que Ele me permitia viver nesta jornada. Foquei na minha força para viver uma vida para Ele e no mérito que o esforço pode trazer.

E, como muitos sabem, não é de hoje que Deus vem falando sobre a grande diferença — que Ele fez questão de deixar registrado na Sua palavra — sobre a escolha de Marta e Maria. Eu sou Marta consciente das exigências do meu coração e do tumulto que sou capaz de causar em quem está ao meu redor.

Com muita dor, choro e, cansaço da agitação do meu coração, tenho corrido para este lugar secreto nos últimos anos, onde tudo o que tenho e tudo o que eu preciso é de Sua presença tocando minha limitada existência. Jesus! 

“Porque Deus amou ao mundo, de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.” João 3.16

“eu neles, e tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como TAMBÉM amaste a mim.
João 17.23

O Senhor tem trazido a minha memória muitas experiências que tive com Ele no inicio da caminhada. Em especial o dia 28 de fevereiro de 1994. Em total rebeldia, forçada pelos meus pais eu fui a um retiro no período do carnaval. Usei isso como barganha [como moeda de troca] para depois do retiro, não ir aos cultos da igreja e nunca mais precisar escutar sermões sobre Deus. Aos 14 anos eu estava decidida: tudo que queria era me jogar no pecado e ficar livre para fazer tudo que tinha vontade, livrando-me de todo aquele vocabulário cristão, de todos aqueles discursos pegajosos — inclusive desejei nunca mais ouvir a palavra Deus.

Todavia, ao final daquela noite, depois de ter fixado meus pés com a galera do fundão, o pastor chamou todos os jovens pra frente. Mandou tirar as cadeiras e, ali, constrangida, dei alguns passos à frente. Quando o pastor impôs as mãos sobre mim, eu senti algo indescritível. Era físico!  Meu corpo converteu-se em lágrimas que eu não conseguia conter: simplesmente rolavam dos meus olhos num momento de profundo quebrantamento. Tudo foi muito intenso! Uma profunda consciência do meu pecado e do meu coração. Reflexo de uma penetrante consciência de quem me tocava naquele momento. Jesus tomou meu ser.

Porque Ele me tocou, eu vi. Porque Ele me amou, eu vi. Vi o meu pecado. Vi Sua presença sobre mim e como me amou de forma constrangedora. Assim como eu via o Seu amor, também via o meu pecado como num espelho diante de mim. Posso parecer redundante, mas essa é um pobre tentativa de expressar o que vivi naquela noite e na madrugada seguinte.

Como descrever essa Luz que vem sobre nossos corações e revela nossas piores misérias com tanto amor? Como descrever?

Eu tento, mas não consigo. A presença de Jesus dispensa qualquer palavra, qualquer forma de linguagem persuasiva, o mais ambicioso argumento. Porque Ele é amor, e Ele nos envolve com o Seu amor. Deus é amor.

Porque desde o inicio, antes da fundação do mundo, Ele nos predestinou para sermos dele. A razão pela qual nos criou foi para viver com cada um de nós. Essa história é de amor, de perdão, de reconciliação e, de significado.

Algo tem sido renovado em mim: quanto a questão da minha identidade em Cristo, quanto ao Seu propósito ao me criar. quanto a e esse chamado para viver junto a Cristo, aos pés de Cristo, no lugar secreto, no fluir de Sua habitação em nós e de nossa habitação em Cristo.

Fomos criados para essa vida dentro de Cristo, e Cristo dentro de nós. A alegoria da mais perfeita forma de habitação.

divisoria (1)

Qual é a altura da tua maneira de amar?
Qual é a profundidade desse amor?
Alguém conseguirá medir o ‘de tal maneira’?
É possível medir Aquele que é o começo e o fim?
De eternidade à eternidade, Jesus é Senhor!

Quando eu olho pra Ti
Só vejo
O Teu amor
Em forma de esvaziamento
De uma entrega total
Inclusive
Do Seu próprio corpo
Numa cruz

Nunca saberei o tamanho
Da Tua renúncia
Da Tua entrega
Do Teu esvaziamento

Nunca conseguirei medir
O Alfa e o Omega
O principio e o fim
O Teu amor
Por mim

“…e os amaste, como TAMBÉM amaste a mim.” João 17.23

Diante do Teu amor
Eu sei
Que nada posso fazer
Por mim
Ou para Ti

E mesmo assim
Tu ali estás

Tua graça estendida
À alguém como eu

Que posso eu fazer?

Além de minha vida
A Ti entregar

 “…Deus é amor.” 1 João 4.8

Sempre
Foi sobre
Quem Tu és

Tua escolha
De nos criar
Fazer-nos para Ti

Predestinados
Para sermos Teu

“Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?”
Tiago 4.5

Quero anelar
Tua presença
Como Tu
Anelas a minha
Companhia

Quero desejar
O Teu coração
Como Tu desejas
O meu

Quero render
Meu ser a Ti
Firmada na Tua entrega por mim

Quero a Tua companhia
Na plenitude
Que Tu estabeleceu
Que fosse
Desde o inicio
Antes de todas as coisas

Intimidade
Proximidade

Ouvir a Tua voz
Dentro de mim
Mais real do que os ruídos
Ao meu redor
Mais real do que a minha
Própria voz

Na viração
Dos meus dias
Quero ouvir
O Teu chamado
Para estar comigo

Quero encontrar-Te
Em minhas manhãs
E te dar o melhor
Do meu tempo
O melhor
Dos meus dias

“O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo?” Salmos 27.1

Tu me chamas
Para habitar
Junto a ti
Na fenda da Rocha

Neste lugar
No recôndito do Teu tabernáculo
Tu me acolhes
No dia da adversidade
Tu me ocultas
No Teu pavilhão

Tu és a minha Luz
Na escuridão da madrugada
Tu és a minha salvação
Diante da força das ondas
Pois os ventos
Obedecem a Tua voz
Conhecem o Teu comando

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” João 14.6

A Tua verdade
È o que me define
As Tuas palavras
A minha vida
O meu sustento

Não me escondas, Senhor
A Tua face
Tu és o meu auxílio

Sou agraciada
Com a Tua redenção

Não é a minha
Própria força ou vontade
Que me transforma
Mas o encontro com o Teu amor

Não são palavras de sabedoria humana
Que me levam de volta pra Ti
Tua verdade e vida
Teu Reino é poder
Sobre mim

Não são imposições de culpa
Que me coagem a corrigir meu comportamento
Mas o Teu amor
Tu despertas o meu coração
Tu constranges minha rebeldia
E me levas à Tua presença e perdão

Jesus,
Tu és aquele que restaura
Em mim
A dignidade
Quando me atrai ao Teu amor
E revela a Tua perspectiva
De Criador e Pai
E me faz viver
Como filha

 “Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso atingir.” Salmos 139.6

Tu me cercas
Por trás
Por diante
E sobre mim pões a Tua mão

Tu formaste o meu interior
Tu me teceste no seio de minha mãe 

Os meus ossos
Não te foram encobertos
No oculto
Fui formado e entretecido
Como nas profundezas da terra

E os Teus olhos
Assistiam-me lá
E me assistem aqui
Da substância informe até os dias atuais

Todos os meus dias
Foram escritos
E determinados
Pelo Teu amor
Quando nenhum deles
Ainda havia

Se, subo aos céus
Lá estás
Se, faço a minha cama
No mais profundo abismo
Lá estás também

Quem nos separará do amor de Cristo?” Romanos 8.35 

Na altura
Que andar por fé exige
Na profundidade
Que a dor de perder requer

Por mais alto que seja
O Teu chamado para que eu perca o controle
Ainda assim, o Teu amor é maior

Por mais profundo que seja
O abismo da morte das minhas vontades
Ainda assim, o Teu amor é maior 

Porque hoje eu posso dizer
Que estou bem certa
De que nem morte
Nem vida
Nem anjos
Nem principados
Nem potestades
Nem coisas do presente
Nem do porvir
Nem qualquer outra criatura
É maior do que o Teu amor por mim

Em resposta
Por amor a Ti
Sou entregue à morte
Todos os dias

Porque Tu me amou primeiro
Hoje eu tenho necessidade de Te amar 

“Porque nós, que vivemos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal.” 2 Co.4. 11
I Rs 18.36-40; Oséias 2.1-20; Romanos 12.1-2; Romanos 8.36; Filipenses 1.29 

Senhor,
Muda a minha perspectiva
Abre meus olhos para a honra
Que é sofrer contigo

Abre nossos olhos
Como povo
Para a honra que há
Na união contigo
Em Tua morte
Em Tua cruz

Atrai-nos a Ti
Leva-nos ao deserto
E fale ao coração
Do teu povo

Queremos tocar
Queremos ver
E provar
Que Tu, Senhor és bom

Tu és bom
Tu és bom

Só o Senhor é Deus
Só o Senhor é Deus

Por Tua causa
Eu posso entrar
No matadouro
E como sacrifício vivo
Entregar toda a minha
Vida, vontade e paixões

Porque Só o Senhor é Deus

E, então
Responderei a Ti
Cantarei louvores
E habitarei como nos dias
Em que subi da terra do Egito

Só o Senhor é Deus
Só o Senhor é Deus 

Ana Quésia Wasem

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8