Falamos e escrevemos para um crucificado. Você já solicitou a sua cruz de hoje? Observe que o momento que temos maior necessidade da cruz é quando estamos certos.

Fazem alguns anos que ministramos sobre este assunto. Agora Deus requer que ministremos novamente nesses dias que está trazendo uma grande advertência sobre nós: as virgens.

Será que sou uma virgem prudente que tenho guardado o azeite? Será que sou uma virgem néscia? Lembro-lhes que o Senhor não está falando de incrédulos, neste caso a comparação não seria com uma virgem. O nosso Senhor está falando para seus discípulos, para sua igreja. Não é para os que estão no mundo.

Historiador Flávio Josefo, amigo pessoal de Tito Romano, descreveu com riqueza de detalhes o cerco a Jerusalém e deixou relatado que nenhum discípulo do Nazareno morreu. Porquê? Que todos fugiram antes do cerco e do massacre. Porquê?

Porque Jesus deu orientações específicas para eles: Mt 24.15-20 – “fujam para os montes … Ore para que a fuga não se dê no inverno…”  

E hoje as advertências que temos é para nos salvarmos da morte eterna.

Mt 24:1-4

1 Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando, quando se aproximaram dele os seus discípulos para lhe mostrar as construções do templo.
Ele, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.
3 O princípio das dores No monte das Oliveiras, achava-se Jesus assentado, quando se aproximaram dele os discípulos, em particular, e lhe pediram: Dize-nos quando sucederão estas coisas e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século
4 E ele lhes respondeu: Vede que ninguém vos engane.

1Jo 5.21 

Filhinhos, guardai-vos dos ídolos.

Porque escrever isto para a Igreja? Porque do nada João escreveu isto? É para mim? É para nossos dias?

1Pe 4.1-6

1 Ora, tendo Cristo sofrido na carne, armai-vos também vós do mesmo pensamento; pois aquele que sofreu na carne deixou o pecado,
2 para que, no tempo que vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus.
3 Porque basta o tempo decorrido para terdes executado a vontade dos gentios, tendo andado em dissoluções, concupiscências, borracheiras, orgias, bebedices e em detestáveis idolatrias.
4 Por isso, difamando-vos, estranham que não concorrais com eles ao mesmo excesso de devassidão,
5 os quais hão de prestar contas àquele que é competente para julgar vivos e mortos;  pois, para este fim, foi o evangelho pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam no espírito segundo Deus.

Mt 7.13-14

Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.

Pv 14.12 (Pv 16.25)

Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte.

Pv 12.15

O caminho do insensato aos seus próprios olhos parece reto, mas o sábio dá ouvidos aos conselhos.

O que é um ídolo?

Um ídolo não é um fim em si mesmo. 
É um meio para satisfazer os desejos do homem.
  • Os ídolos cristãos – . Cada ídolo é constituído para atender alguma necessidade, tanto na antiguidade como na modernidade.
  • São Benedito – causas impossíveis;
  • São Cristóvão – protetor dos motoristas, etc.
  • Deuses pagãos – da colheita, da fertilidade.
A igreja de hoje está carregada de mundo.

Exemplos na Palavra:

  • Josias 2Rs 22.11→ e 2Rs 23.4→
  • Elias 1Rs 17 a 19

1Co 10.7–15

7 Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se.
E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil.
9 Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes.
10 Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador.
11 Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado.
12 Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.
13 Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.
14 Portanto, meus amados, fugi da idolatria.
15 Falo como a criteriosos; julgai vós mesmos o que digo. 

Será que não há muitos altares que devem ser derrubados nestes dias? Será que a palavra profética que está em nossos corações não deve ser como a de Elias? Este é o momento de derrubar altares que foram levantada.

Agora é tempo de termos toda a nossa afeição, nossa adoração, nosso tempo dedicado a Deus, principalmente em nossas casas.

Somos uma igreja moderna e afeiçoada ao mundo! Isso não é exagero. Não queremos regras, mas há coisas que vão sorrateiramente nos atraindo. Veja a evolução do cinema: começou mudo mas desde o início já estava sob o poder do maligno, pois todo o mundo jaz no maligno

É necessário romper com a idolatria dos últimos dias. Seja qual for.

Temos que cuidar com tudo que estamos plantando porque o próxima geração de discípulos pode ser muito pior que a nossas.

Is 66.5

“Ouvi a palavra do SENHOR, vós, os que a temeis: Vossos irmãos, que vos aborrecem e que para longe vos lançam por causa do vosso amor ao meu nome e que dizem: Mostre o SENHOR a sua glória, para que vejamos a vossa alegria, esses serão confundidos.”

Cuidado com os Sambalás, Tobias e Gesém, pois levantarão oposição quando começarmos derrubar ídolos.

Segue sugestões praticas

  1. Continuar pedindo e esperando que venha um fogo consumidor. Faz alguma coisa. Precisamos de algumas experiencias freqüente com Deus. Hoje Deus vai fazer alguma coisa. Temos que ter muitas experiências. Pedir clamar. Deixar tudo na mão soberana de Deus, se ele quiser que eu fique um ano pedindo…
  2. Identificar os ídolos que estão ao nosso redor, os fortes, os imperceptíveis, e sobretudo, cada um o seu:
    1.  Ministério. Se usamos o ministério que temos para ampliá-lo e mante-lo.
    2.  Imagem. Se há grande preocupação de como me vêem, como me tratam. Se falaram de mim pelas costas. Quando alguém fala mal de mim pelas costas a nossa preocupação é que o pobre do irmão esteja pecando.
    3.  Futebol. O quanto demorei para perceber que o futebol é ídolo. O campo, o estádio é o templo! O Espírito disse ao Marcos: você agüenta isso aqui, eu não e você me trouxe aqui.
    4.  Dinheiro. Este que dá mais medo, mais perigoso. Temos que conversar e ter luz. Tenho que saber se estou envolvido ou não com ele.
    5.  Consumismo. Comprar, comprar, comprar até mesmo além das posses.
    6.  Eros. Não é só lascívia e pornografia. Se você precisa menos, ótimo. Se precisamos precisar, então é preocupante. Desejo pelo desejo.
    7.  Comodidade. Quanto a comodidade me impede de servir. Tudo que se tem hoje seria para ricaços antigamente. Pode crescer tanto a ponto de não saber viver ser elas. É muito escravizante. É contrario para a disposição ao sacrifício
    8.  Visão que temos. Se isto nos impedir de amarmos e nos relacionarmos com outros irmãos, estamos idolatrando o que Deus nos tem falado. São irmãos, tem a Cristo ou já os declaramos gentio e publicamos?
    9.  Liberdade. Se nossa liberdade chega ou ponto de desprezar o débil já estamos escravizados. E o amor. Se comer nada é e se não comer também nada é. Minha liberdade tem que estar na cruz.
    10.  Conhecimento. Busca saber e demonstra todo o conhecimento. Qual é a necessidade de sua alma: aplausos.
    11.  Entretenimento. Comida, bebida, cinema, leituras, vídeos,video game, etc.
    12. Tudo que o Senhor lhe mostrar. Seja honesto consigo mesmo.
  3. Conversar nas juntas (discipulado e companheirismo). E, diante de Deus fazer lista de nossos ídolos; buscar ajuda; ter arrependimento e confissão.
  4. Olhar para Cristo.

Tg 1:22-25

Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar. 

E AMANHÃ, COMO SERÁ?

JÁ TERÁ ESQUECIDO O QUE O SENHOR FALOU HOJE?

 

 

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *