Até mesmo em tempos escuros.

Quando começamos a ouvir a palavra de arrependimento e nos aproximamos  cada vez mais da porta do reino de Deus, este texto é muito repetido:

”Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto temnão pode ser meu discípulo”. (Lc 14.33)

Somos convocados a fazer cálculos e mais cálculos para entrarmos no reino de amor. Temos que ter total clareza que estamos dispostos a renunciar tudo por Jesus. Assim fazemos nossas listas: namoros, estudos, trabalhos, família, ideias próprias, sonhos, lazer e uma infinidade de coisas. Cada um se conhece e sabe o que mais rouba o tempo do Senhor de suas vidas.

Tomados pela paixão de conhecer a Jesus, o novo, que está a nos transformar, seguimos com muito ímpeto. Seguimos firmes e com alegria e cada dia conhecemos mais e mais irmãos. E, distraídos com muitas coisas da vida, esquecemos de observar este simples versículo. Afinal de contas ele já foi estudado e analisado logo na conversão.

Mas será que os princípios do Senhor não são para serem observados sempre?

Veja o texto: “…todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem… “ Este texto não colocou prazo e tempo de validade. Não fica vencido com o decorrer do nosso tempo de convertido. Ele é sempre atual. É para ser meditado com frequência. Vejamos:

Será que estou renunciando ao meu tempo livre, meu tempo de lazer para o Senhor ou estou fazendo só o que me agrada? Lembre-se que nós somos aquilo que fazemos quando não temos nada para fazer (uma frase de Ivan Baker). O que estou fazendo na minha folga?

E quanto à profissão? Será que continuamente renuncio ao trabalho, ao dinheiro? Ou estou sempre pensando na prestação do próximo bem que desejo? Ou estou buscando me enriquecer para depois me dedicar a obra? Ou estou priorizando minha capacitação? Afinal houve um grande investimento em minha vida…

E o que dizer dos meus projetos, sonhos, ideias… Estão elas nas mãos de Deus ou as minhas?

Pense, tenho renunciado a tudo? Tenho sido discípulo de Jesus?

”Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”. (Lc 14.33)

Até quando? Até a minha união com Cristo. Se sou discípulo continuo sempre a renunciar tudo por amor ao meu mestre, à aquele de se ofereceu por mim na cruz.

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8