Quando leio o livro de Atos vejo o mesmo sentimento permeando o meu interior. O desejo de experimentar aquela dimensão de intimidade com o Senhor e manifestação de poder. De andar no sobrenatural, de experimentar uma direção clara e contundente do Espírito Santo. Ser guiado momento após momento.

O que tem acontecido é que, ano após ano, fico frustrado, pois acabo sem conseguir o meu intento e percebo que a culpa recai sobre o ativismo, as viagens, as situações.

Quando vejo as atividades de Jesus e de seus apóstolos, percebo que eles eram tão ocupados “que não tinham tempo para comer” e mantinham esta comunhão estreita com o Pai.

Uma pergunta surge: Qual era o segredo para fazerem tudo e permanecerem com tamanha intimidade e dependência? Como conseguiam?

A pergunta é pertinente, pois não creio que as atividades irão diminuir, não creio que o Senhor queira que abandonemos o mundo e o dia a dia para nos dedicarmos única e exclusivamente à intimidade com Ele. Isto foi o que alguns fizeram em sua busca e alienaram-se de tudo e de todos.

Isto não foi o que os apóstolos fizeram, pois estavam diariamente no pórtico e de casa em casa. Viviam uma vida intensa de comunhão com os irmãos e com o povo e mesmo assim mantinham sua intimidade com o Pai. Muitos sinais e prodígios eram feitos e havia abundante graça em cada um.

Sabemos que isto era assim com eles e que eles eram homens sujeitos aos mesmos sentimentos que nós e que também tinham as suas atividades como temos as nossas e mesmo assim experimentavam uma dimensão de comunhão e de manifestação que vai além do que temos experimentado.

Através dos relatos de Atos percebo que é possível ter muita atividade e mesmo assim desenvolver intimidade com Deus. Como alcançar isto dentro de nossa realidade e contexto? Isto é o que tenho que descobrir e experimentar. Qual é a chave que eles tinham que temos que ter? Como em meio ao turbilhão de demandas, serviços e atividades manter a comunhão com o Senhor intacta? Como manter a comunhão no dia a dia?

Quero, com toda a simplicidade, sugerir algumas coisas:

  1. Tirar um tempo específico de oração e cumpri-lo acima de tudo. Se possível antes de deixar o quarto.
  2. Determinar que a cada hora irei parar qualquer atividade e irei orar. Dar o dizimo da hora para o Senhor.
  3. Tenho algo para fazer, um lugar para ir, um irmão para atender, uma situação para tratar, orar um tempo perguntando o que o Senhor quer que seja feito.
  4. Toda a situação que se apresentar diante de mim, orar antes de ter qualquer ação ou reação.
  5. Todo o dia, antes de dormir, repassar o dia diante do Senhor e ver o que ocorreu.
  6. Aproveitar para orar, cada vez, que encontrar com um irmão.
  7. Se não criarmos novos hábitos iremos, de novo, estar frustrados com a intimidade com o Senhor.

O caminho da espontaneidade passa pela autodisciplina.

E só se torna espontâneo em nós o que se torna um hábito e hábito se adquire pela repetição.

Que o Senhor nos ajude a mantermos a nossa intimidade em meio a todas as nossas atividades. Se foi possível para eles, será possível para nós.

Que o Senhor continue a nos abençoar!

Mario Fagundes
Foto Banquinho de Oração by SAvillez

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8