Antigamente o importante era ser: ser alguém, ser sábio, ser reconhecido. Depois se transformou em ter: ter bens e propriedades, ter conhecimento, ter capacidades… Todavia na superficialidade de hoje o mais importante é parecer: parece uma boa marca, mas é falsificada, parece ter conhecimento, mas é google, só meras informações. Como prédios velhos que parecem modernos com os revestimentos superficiais que recebem.

Mesmo assim, a vida de um verdadeiro profissional, de um que se esmera sempre está cercada de sonhos, desejos e realizações de ser e ter. Quando ingressa no mundo adulto, o jovem estudioso vem tomado de  tudo isso. Ele quer ser um bom profissional, quer ter estabilidade. Ele deseja casar e estabelecer família. São sonhos, desejos e alvos. E luta por isso. E busca isso.

Poucos são que nada desejam. Aliás quem sonha com o nada acaba por alcançá-lo. São tão angustiados, oprimidos que só conseguem ver muito pouco e desanimam com muitas coisas.

O mundo sempre proclama suas mentiras como se verdade fossem. Fomenta ideais, desejos e sonhos falsos. Sempre ensina o que é contrário a vida eterna com Deus. Aliás, o governante deste século só tem um desejo: se opor em tudo ao Criador da vida.

Por isso, o Senhor nos exorta a não nos conformarmos com este século, mas transformarmo-nos pela renovação da nossa mente, para que experimentemos qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus (Rm 12.2).

Não se conformar com este século. Não se conformar com tudo que este século produz ou induz: na formação acadêmica e profissional; nos relacionamentos interpessoais, namoro, casamento e sexualidade; na geração de opinião; no entretenimento e também com a igreja secularizada.

O profissional que se converte vem cheio de fúteis procedimentos legados por seus pais, professores, pela mídia pelos chefes e etc. A todos estes novos convertidos, bem como os que cresceram e se profissionalizaram no Senhor e renunciaram as seus sonhos, desejos e realizações nosso Pai nos deixa não uma barganha, mas uma promessa:

27 Jesus, porém, fitando neles o olhar, disse: Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível. 28 Então, Pedro começou a dizer-lhe: Eis que nós tudo deixamos e te seguimos.

29 Tornou Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou mãe, ou pai, ou filhos, ou campos por amor de mim e por amor do evangelho, 30 que não receba, já no presente, o cêntuplo de casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições; e, no mundo por vir, a vida eterna. (Mc 10:27-30)

Gloriosa consolação que Cristo nos dá. Temos já no presente cem vezes mais de casas (quantos grupos caseiros existem!), de irmãos e irmãs (qual é mesmo o número de irmãos que temos espalhados pela terra?), de mães, pais e filhos que nos adotam e nos cobrem de orações. Além disso campos, propriedades: fico sempre impressionado como os que se submetem a Deus prosperam. Não necessita de nenhuma pregação para isso, é natural.

 

Agora tudo isso com perseguições. “Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.” (2Tm 3.12).

Sim, é uma honra, uma alegria ser “considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome” (At 5.41), por obedecer ao Senhor, por fazer aquilo que o Senhor manda. Transformando-se, renovando a própria mente. E isso neste século: nos estudos, no trabalho, nos relacionamentos, na igreja. Nunca em rebeldia, nunca em insubmissão.

A perseguição não nos abala. As perseguições nos impulsionam — Estou no caminho certo.

Aleluia! Ajuda-me ó Pai a nunca tirar os olhos de ti, pois sei que tudo que ocorre comigo está debaixo do teu controle. Leva-nos em frente. Obrigado Senhor.

Vamos adiante! Santos ao Senhor!

Salvador, 17 de junho de 2013

Foto Masmorra, Saint Andrews Castle, Escócia, by Savillez

 

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!