Nesta terra, nada é tão belo olhado de perto. Nada é inofensivo quando aumentamos o zoom, focalizando e expondo os detalhes.

Uma linda paisagem no Alaska, captada pelo pincel de um hábil pintor. Um contraste de cores e formas. O azul do céu, o branco da neve, o verde da vegetação, a forma das montanhas no fundo do cenário paradisíaco. Olhada de longe, a paisagem é perfeita, inspiradora de paz e segurança. Mas… De perto, ah… de perto há um frio congelante, ursos ferozes, lobos devoradores, avalanches, uma natureza extrema e implacável. Quem nela se aventurar sem experiência e sem os recursos necessários para a sobrevivência, estará fadado a morte certa. Olhando de perto, aquilo que era totalmente belo passa a ser assustador, mortal.

Mas, não é tudo assim nesse mundo? Pessoas, empresas, famílias, muitas vezes olhadas de longe parecem perfeitas, mas de perto… Os defeitos aparecem, as desavenças se mostram, o pecado emerge. Não há nada belo nesse mundo.

Mas… Voltando à paisagem no Alaska, a visão paradisíaca é captada pelo pintor. Na sua tela ele não retrata a selvageria, a brutalidade, a força mortal da natureza e seus elementos. Ele simplesmente contempla a perfeição, ele retrata o que os seus olhos enxergam além da paisagem. E seus olhos enxergam perfeição, paz, harmonia, segurança.

Não será assim que Deus olha para nós? Ele não atenta para o presente. Ele olha para o futuro. Ele nos vê em sua glória. Ele ouve os cantos de louvor que ainda nem cantamos, mas que por certo cantaremos na eternidade. Ele ouve o perfeito louvor. Ele enxerga como será sem o pecado, sem a morte, sem a dor, sem as separações, sem os perigos…  Será, sem dúvida, maravilhoso, perfeito. Ele conhece a noiva, sabe quem são os vencedores, tem os nomes dos redimidos anotados em seu livro. Então, ele admira a paisagem que ainda não é, mas que será.

Olhamos para a Igreja e quando a vemos de longe, podemos nos impressionar com as mãos levantadas, com as fervorosas orações, com a liturgia, com as palavras de poder. Mas, quando olhada de perto, há muito joio no meio do trigo, há doutrinas de demônio sendo ensinadas como palavras de Deus, há Jezabel ensinando idolatria, há lobos em pele de cordeiros, há virgens loucas. Podemos nos desanimar com esta visão. Podemos, mas não devemos.

Precisamos da visão de Deus. Olhar do alto, das regiões celestes onde Cristo está assentado e nós também.

Olhando do alto, Deus vê o futuro da Igreja. Ele sabe que seu plano perfeito é também infalível.  Ele está preparando e aperfeiçoando sua Igreja. Ele conhece os que são seus. Ele sabe exatamente quem são os servos bons e fiéis, os benditos do Pai. Ele os está purificando, adornando, investindo em todos. É fato que nem todos querem ser purificados. Poucos querem de verdade andar na presença do Senhor. Deus sempre contou com o remanescente. Mas, Ele não deixa de investir, de alertar, de corrigir, de se revelar. Em cada geração, Deus levanta seus profetas. Ele não se cala diante da surdez dos que se dizem seus ouvintes, nem deixa de brilhar sua luz de revelaçao, mesmo que muitos amem as trevas e fujam da luz, pois suas obras são más.

Muitas vezes quando estou louvando a Jesus, com espirito contrito, explodindo de alegria pela prazerosa e avassaladora presença do Senhor, fico pensando… Como seria bom se não houvesse o pecado… Como seria bom não descer desse monte onde a adoração é contagiante, sincera e profunda. Mas, aí, vem a realidade. Não estamos na nossa pátria, ainda. Descendo do monte, as lutas nos aguardam. Precisamos a todo momento estar cheios da presença do Senhor para derrotar o pecado, vencer as tentações, crucificar o ego, fugir da impureza, suportar as aflições, andar a segunda milha, dar a outra face, amar o inimigo…

Como seria bom não ter que descer do monte! Mas, aqui não é lugar de descanso. Temos que levantar e andar. E não só isso, mas contemplar o futuro da Igreja, como Deus o vê. E ele vê perfeição. Ele não vê rugas, nem manchas, pois elas não existirão. E se é nessa paisagem que queremos passar a eternidade, ou melhor, se quisermos ser parte dessa paisagem, se temos esta esperança, devemos nos purificar de toda mácula, impureza, de tudo aquilo que ofende a santidade de Jesus e que não tem parte com Ele. Devemos estar com as lâmpadas cheias do óleo do Espírito. Devemos ser como aqueles que aguardam o seu Senhor. Devemos ser como aqueles que perseveram até o fim. Devemos ser imitadores de Deus. Como filhos amados, condenar as obras infrutuosas das trevas. Ser amigos de Deus e inimigos do mundo. Não ter cuidado da carne com suas paixões e concupiscências. Viver e andar em espírito.

Se assim vivermos, a cada dia nos sentiremos mais partes da paisagem futura. A cada momento nos pareceremos mais com o nosso Pai. Começaremos a experimentar o céu, mesmo estando na terra. E só teremos olhos para contemplar o nosso futuro eterno na presença do Senhor.  Viveremos ansiando o dia de ver face a face o autor e consumador da nossa fé: Jesus. O qual, por ter enxergado a paisagem futura, suportou a cruz, para nos tornar possível tomar parte no cenário eterno de perfeição,  para nos fazer filhos de Deus, para um dia podermos estar na casa do Pai. Aí, sim, a paisagem será perfeita, quanto mais de perto olhada, mais perfeita será.

Quero muito estar lá.

Fonte: Reino Eterno
Foto Um Cordeiro nos Céus by SAvillez

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8

2 CommentsLeave a comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *