Já estava quase no fim. Tinha sido muito trabalho. O sábado já estava às portas. O momento de descansar estava chegando e Deus continuava trabalhando. Tinha uma obra muito importante a completar. Enquanto tudo foi criado com sua Palavra, agora trabalhava com suas próprias mãos.

A sua imagem conforme a sua semelhança fez o homem. Do pó da terra fez o homem. O barro transformado em imagem e Deus. E, lhe soprou nas narinas. O folego de vida penetra no seu trabalho e o transforma em alma vivente. O homem passa a ser conforme semelhança de Deus.

E viu que tudo que fizera era muito bom!

Nós com o casamento somos uma obra acabada-inacabada. Nunca estamos prontos, mas já estamos prontos. Desejamos nunca errar, mas erraremos. Nós consideramos e somos considerados habilitados, mas tememos os deslize. Tudo porque somos uma obra acabada-inacabada.

Acabada até aquele momento. Todavia inacabada, pois ainda há muito que se aprender. Se o pensamento de que sou o perfeito tomar o nosso coração, a soberba também se intalará. Dificultaremos o termino da obra do Senhor em minha vida. Se a convicção de que somos inacabados ocupar o coração, então, como probres de espírito, humildemente dependeremos do Senhor, para tudo.

Agora, como obra acabada devemos prosseguir. Não voltando para trás, nem lembrando do que já passou. Nem se rastejando ou “lesmando”. Mas correndo com “com perseverança, a carreira que nos está proposta” (Hb 12.1). A parte da obra acabada anseia pelo termino daquela parte inacabada.

“Não que eu o tenha já recebido ou tenha já obtido a perfeição; mas prossigo para conquistar aquilo para o que também fui conquistado por Cristo Jesus.
Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
Todos, pois, que somos perfeitos, tenhamos este sentimento; e, se, porventura, pensais doutro modo, também isto Deus vos esclarecerá. Todavia, andemos de acordo com o que já alcançamos.”
Filipenses 3:12-16

Assim devemos ser em todo o tempo, sobretudo no casamento. Sabendo que somos, homens e mulheres, obras inacabadas, incompletos, imperfeitos, correndo para acabar a obra, completar aquilo que foi começado para glória de Deus.

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *