Imagine um homem que se depara com uma criança sendo espancada por delinqüentes. Ele se atira no meio da confusão, salva o menino e o leva para um hospital. O homem paga o tratamento da criança. Descobre que a criança é órfã, a adota e lhe dá o seu nome. E então, certa noite, depois de meses, o pai ouve o filho chorando no travesseiro. Ele vai até o filho e pergunta o motivo da sua tristeza.

— Estou preocupado, pai. Estou preocupado com o dia de amanhã. Onde vou conseguir comida para comer? Como vou comprar roupas para continuar aquecido? E onde vou dormir? Com toda a razão, o pai fica preocupado.

— Eu não lhe mostrei? Você não entende? Arrisquei minha vida para salvá-lo. Dei meu dinheiro para tratá-lo. Você usa o meu nome. Eu o chamei de meu filho. Eu faria tudo isso e depois não supriria suas necessidades?

Agora, me diga honestamente: Deus salvou você para que você se preocupasse? Ele o ensinaria a andar só pra vê-lo cair? Ele seria pregado na cruz por seus pecados e, depois, desprezaria suas orações? (Max Lucado, Dias melhores virão)

Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. […] Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; mas, buscaiprimeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. (Jesus, Mateus 6.25-34)

Perceberam? Max Lucado disse a mesma coisa que Jesus. Penso que ele pensou justamente nesta passagem.

Comer, beber, vestir são necessidades básicas do ser humano; ele corre atrás delas dia após dia, garantindo pelo seu esforço, seu trabalho, pelo menos o que comer, o que beber e vestir.

Porém para os seus filhos, Jesus diz:

— Olha, eu sei que vocês precisam dessas coisas, mas busquem primeiro o meu Reino e a minha justiça. Vocês têm se preocupado tanto com as necessidades desta vida, como se eu não fosse suprí-los no mínimo que vocês precisam. E nós revidamos:

— Ah, mas, Jesus, se eu não trabalhar… O que eu vou comer ou beber? Como vou ter roupas pra me vestir?

— Ah, mas, meu filho, eu não disse isso. Não disse que não deve trabalhar, nem deixar de planejar. Eu disse que você tem andado preocupado, inquieto, muito cuidadoso com essas coisas. Desnecessário. Os gentios se preocupam, mas você não deve.

Eu vejo uma igreja (portanto, me incluo) que tem se preocupado o que comer, beber ou vestir. Na verdade, estas coisas, não nos preocupamos com ela enquanto estamos empregados. E quanto ao que vestir, preocupamos-nos, na verdade se a nossa roupa está dentro de um padrão mais do que se temos algo pra vestir, certo? Galera, eu não estou falando pra ninguém andar cafona por aí não, mas, repetindo as palavras de Cristo: os gentios que se preocupam com essas coisas.

Eu vejo uma igreja (portanto, me incluo) preocupada com os assuntos deste mundo, além de comida, bebida e vestimentas; muitas vezes agregando valores deste mundo no modo de viver. E isto é um indicador de um fato: não estamos agindo como filhos de Deus; não estamos agindo como discípulos de Cristo. Estamos agindo como os gentios, como o mundo.

Os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seus caminhos são os meus caminhos. Assim como os céus são mais altos do que a terra, também os meus caminhos são mais altos do que os seus caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os seus pensamentos”. (Isaías 55.8,9)

Nós podemos querer ter muitas coisas (porque acreditamos que precisamos delas de alguma forma). Não digo que seja errado querer, nem que Deus não possa ou mesmo queira nos dar, mas a verdade é que quanto mais temos, mais preocupações acopladas. Se eu quero uma mesa, tenho que me preocupar em ter um lugar pra colocá-la, em mantê-la limpa e talvez eu até precise de umas cadeiras pra acompanhá-la. Entendem?

Jesus não se preocupa com as coisas que nós preocupamos. A questão não é se queremos ter uma mesa ou não, mas o quão importante isto é pra nós. E é isto que Ele quer dizer quando fala, “buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça”. Deus sabe que temos responsabilidades aqui também e por isso não disse, “buscai só o reino de Deus e esqueça todas as outras coisas”. “Buscai primeiro”. Priorize.

Priorizar = Atribuir o primeiro lugar a; considerar mais importante; valorizar.

Primeiro tem a ver com ordinais, que tem a ver com posição. Como adjetivo significa “o que precede outros em relação ao tempo, ao lugar; que é o melhor, o mais notável; essencial, fundamental”. Isto é prático, galera. Enquanto você está preocupado que o ônibus quebrou e você vai chegar atrasado, Deus está preocupado que você aproveite a situação e conforte outro passageiro falando da fidelidade de d‘Ele. Ele pensa mais alto e quer que nos façamos o mesmo.

Portanto, visto que fostes ressuscitados com Cristo, buscai o conhecimento do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Pensai nos objetivos do alto, e não nas coisas terrenas, pois morrestes, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.(Colossenses 3.1-3)

Paulo coloca a condição: se vocês morreram e foram ressucitados com Cristo, então buscai e pensai nas coisas do alto.
divider2

Li esses dias a passagem de Marcos 8.1-9 e a palavra que tem martelado esse ano veio de novo – fé. Imagine a situação: você está andando no deserto com Jesus e mais 4 mil pessoas atrás de vocês e aí Jesus comenta, “O pessoal deve estar com muita fome. Tem pão aí?”. E você, ingenuamente ri e diz, “Jesus, estamos no deserto. Onde é que vamos conseguir pão suficiente pra todos?”. Jesus apenas repete a pergunta, “Temos pão?”. “Sim, temos 7 pães”, você responde um pouco confuso. E a partir de sete pães uma multidão foi alimentada e satisfeita; e ainda soubrou pão! Vamos, imagine; imagine o espanto dos discípulos. A multidão talvez nem entendesse o que estava acontecendo, mas você tinha estado ali com Jesus e 7 pães.

Pra quem gosta de exatas como eu, isso incomoda ainda mais. Sete pães para 4 mil pessoas. Fazendo as contas: 0,00175 pão por pessoa. Isto é como dividir o pão 1,750 vezes. Sei lá se isto dá sequer uma migalha de pão, mas a passagem nos diz que “todas as pessoas ali reunidas comeram até se saciar”.

Acho que ainda não caiu a ficha pra nós (ao menos pra muitos) do Deus que nós servirmos! E mais, Ele habita em nós. Do que temos medo? Por que nos preocupamos?

Ora, a fé é a certeza de que haveremos de receber o que esperamos, e a prova daquilo que não podemos ver[…]. Em verdade, sem fé é impossível agradar a Deus; portanto para qualquer pessoa que dele se aproxima é indispensável crer que Ele é real e que recompensa todos quantos se consagraram a Ele. (Hebreus 11.1,6)

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto [a fé] não vem de vós, é dom de Deus. (Efésios 2.8)

Como conseqüência, a fé vem pelo ouvir as boas novas, e as boas novas vêm pela Palavra de Cristo.(Romanos 10.17)

[…] Mas o justo pela sua fé viverá. (Habacuque 2.4b)

Sem desprezar a lógica, vivamos pela fé, pois, sem ela, como vamos agradar ao nosso Deus? Passemos mais tempo com a Palavra, lendo, meditando. O que importa não é a quantidade, mas que seja entendida, gravada, praticada. E o Senhor nos acrescentará fé para que, por meio d’Ele, venhamos a agradá-lo. Parece bem lógico, não?

Busquemos primeiro, priorizemos o reino de Deus. Não sejamos como os gentios, preocupados com as coisas deste mundo, mas como Cristo, que mantinha o foco nas coisas do alto. Que Ele nos capacite a viver pela fé.

Noemie Nakamura

Print Friendly, PDF & Email
   

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts

Pela Manhã

Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma. Salmos 143.8