Especialmente nos últimos cinco anos, tenho não somente meditado, mas conversado com alguns bons amigos e companheiros a respeito de um tema que a princípio não parece ser bom e nem agradável de se falar, sobretudo para se viver. O Sofrimento.

Experimentei durante onze anos um hiato na minha vida que alcançou todas as áreas, desde a pessoal e familiar até a minha vida no serviço relacionado à igreja e ministério. Muitas vezes foi para mim, praticamente impossível compreender o que se passava comigo, mas, Deus tinha algo a me comunicar e que eu precisava ouvir, entender e mais que isso: aprender.

Quem passa pelo sofrimento, tem a princípio, muita dificuldade de entender o porque da dor, das lutas, da solidão, do esquecimento e de tantas outras situações que poderia enumerar aqui.

Em um primeiro momento, parece que somos os mais injustiçados de todos os homens. Que ninguém nos entende. Que todos e até o próprio Deus deram as costas para nós e para nossa dor. Ninguém consegue entender o que falamos ou compreende os nossos motivos.

A dor se torna maior ainda, quando você passa pelo sofrimento, sem um motivo plausível.

Você sempre foi dedicado ao Senhor. Sempre foi atuante na obra de Deus. Sempre trabalhou de forma digna e honesta. Sempre frutificou no Reino de Deus. Tem um bom testemunho, e, de repente, tudo começa a desmoronar.

Afinal, pra quê tudo isso? Porque tudo isso?

Foram anos de amargura, tristeza, dor, esquecimento, abandono, exatamente como se tivesse num deserto. Quem já não se sentiu assim? Penso que cada um de nós já passou, tem passado ou passará por algo parecido. Daí a minha motivação de escrever algo a este respeito.

Nos últimos cinco anos desse hiato que Deus permitiu que tivesse na minha vida, o Senhor começou a fazer uma obra de reconstrução em meu coração. Uma obra de transformação, de mudanças contundentes, de valores, de expectativas, de desejos, de alvos entre muitas outras.

Deus começou a aclarar em minha mente o que estava acontecendo comigo. Deus queria me ensinar. Afinal, o deserto é um lugar de aprendizado e quanto mais rápido nós  aprendemos o que nosso amoroso Pai quer nos ensinar, mais rápido Ele nos tira de lá.

Alguns demoram mais, outros demoram menos, mas o fato é que, enquanto não aprendermos, permaneceremos no deserto. O Nosso Pai querido nos ama muito para nos permitir sair sem o devido aprendizado.

A primeira coisa que o Senhor aclarou em minha mente e coração é que o deserto (ou sofrimento) tem uma finalidade.

Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Deuteronômio 8:2.

Vejam que o texto de Deuteronômio fala que nós estávamos no deserto, mas, não estávamos sozinhos. O texto fala que o Senhor estava conosco a nos guiar no deserto.

by SAvillezEssa foi uma das primeiras coisas que o Senhor me ensinou. EU NÃO ESTAVA SÓ. Mas com que finalidade o Senhor me guiou pelo deserto? Aí eu vejo a sequência do texto e encontro essa resposta:

      1. Para me humilhar.
      2. Para me provar.
      3. Para me fazer conhecer o que estava no meu coração. Se guardaria ou não os seus mandamentos.

Esses são os três primeiros motivos de o Senhor permitir que passemos pelo deserto para nele nos conduzir. Mais à frente traremos outros.

1.Para me humilhar.

Deus se agrada do humilde. Comecei a pensar sobre isso, e me vieram inúmeros textos da Bíblia que concordam com essa minha afirmação. O primeiro texto que me veio ao coração é:

… se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. 2 Crônicas 7:14

Veja que o Senhor, antes de qualquer coisa pede de nós uma postura de rendição completa diante dEle. A humilhação é requisito para que Deus se incline para nós e ouça nosso clamor. Deus não trabalha e não fala a um coração altivo. Ele deseja ver em nós o quebrantamento necessário que nos leve a buscá-lo de todo o coração.

Observe esse outro texto que me fala profundamente.

Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o SENHOR pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus. Miqueias 6:8

O Profeta fala que o Senhor pede de nós três coisas. Que pratiquemos a justiça, que amemos a misericórdia, e que andemos humildemente com nosso Deus. O nosso Pai quer que sejamos como seu filho, que sendo Deus, não considerou ser igual a Deus (Filipenses 2:5-8).

Somos chamados pelo nosso Pai à humildade. Só se aprende a humildade, experimentando a humilhação.

Lembremos o que o escritor de Hebreus 5:8 fala acerca de Jesus: “aprendeu pelo que sofreu”. O próprio Jesus deixa bem clara a posição divina a respeito da humilhação. 

Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado. Lucas 14:11

Tiago fala também nos exorta:

Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará. Tiago 4:10

Por fim, Pedro ensina:

Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte. 1 Pedro 5:6

Note que toda a ação de Deus para nosso crescimento passa pela humilhação. Estava assistindo uma ministração de um amado irmão e ele dizia que sem humilhação Deus não trabalha. Concordo com Ele. Deus quer nos levar verdadeiramente a uma posição de completa rendição, de completa submissão a Ele.

2. Para me provar.

Deus deseja nos experimentar. Nos permite passar por provações para nosso aprendizado e amadurecimento. A provação está diretamente ligada a uma luta ou um sofrimento que passamos, mas que produz em nós, confiança e dependência de Deus. Tiago fala que a prova da nossa fé uma vez confirmada obra a perseverança, e que o passar pelas provações deve produzir em nós alegria.

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Tiago 1:2-3

Sei que é complicado se alegrar com o sofrimento. No momento em que passamos por ele, é praticamente impossível, mas depois da provação, vem o resultado benéfico dela. O que nos ajudará a passar pelas provações, é a convicção que devemos ter, de que nada foge ao controle do nosso bondoso Pai. A convicção de que Ele nos ama e quer nosso bem. Que a sua doce vontade para conosco é BOA, AGRADÁVEL E PERFEITA. (Romanos 12:2).

3. Para me fazer conhecer o que estava no meu coração. Se guardaria ou não os seus mandamentos.

O fato é que Deus não precisa saber o que está em nosso coração. Quem precisa saber o que se passa no nosso coração, somos nós mesmos. O Profeta Jeremias declara: enganoso é o coração do homem!

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Jeremias 17:9

Deus não só conhece o coração do homem, como o esquadrinha, mas, Deus deseja que tenhamos conhecimento claro do coração mau e enganoso que nós temos. Muitas vezes nos pegamos completamente soberbos e presunçosos. Nos tornamos arrogantes e sem misericórdia.

Nos vestimos de Lúcifer e achamos que somos mais do que realmente somos. Por isso o Senhor nos permite ir para o deserto. Para nos fazer conhecer o nosso coração e nos dar oportunidade de arrependimento. Nos dá a oportunidade de destronizar de vez o nosso eu e buscarmos uma completa rendição ao Pai.

Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém. Romanos 12:3a

Pensar de nós mesmos além do que convém, nos torna presunçosos e arrogantes, características incompatíveis com aqueles que desejam uma vida de comunhão e serviço a Deus. Deus não só quer nos fazer conhecer o nosso coração, mas, observar se permaneceremos nEle ou não. É isso que acontece com muitas pessoas que são provadas. Não suportam a provação e abandonam ao Senhor. Tiago, muito sabiamente ensinou:

Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam. Tiago 1:12

Uma coisa que o Senhor falou fortemente a mim nesse tempo de sofrimento: a única coisa certa e garantida que o homem pode encontrar nesse mundo é a aflição.

Jesus advertiu: No mundo tereis aflições! Mas… Imediatamente declarou: Tende BOM ÂNIMO. EU VENCI O MUNDO!

O Senhor quer nos fazer aprovados NEle. Quer nos dar os meios de suportarmos as provações e tem em suas mãos a coroa da vida prometida a todos que o amam. Anteriormente, falei sobre outros motivos para que Deus permita o deserto em nossas vidas.  O quarto motivo está em.

“para te humilhar, e para te provar, e, afinal, te fazer bem”. Deuteronômios 8:16b

4. Me fazer BEM.

Tudo o que Deus deseja para nós é o nosso BEM.

Temos que ter a convicção de que em todo o tempo que passamos no deserto, Deus esteve, está ou estará conosco. Mandará de dia a nuvem para nos proteger do sol, e pela noite, a coluna de fogo para nos alumiar.  Nos dará o maná que necessitamos, e estará cuidando de nós como um Pai zeloso e fiel.

Nunca envelheceu a tua veste sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos. Deuteronômios 8:4

Deus nos permite desertos mas nunca descuida de nós. Lembremos com toda convicção que aos seus amados, Ele dá enquanto dormem. (Salmos 127:2b). Pois, Deus tem um outro objetivo ao nos permitir passar pelo sofrimento, pela dor, pelos desertos da vida.

5. Para que Consolemos a outros com a consolação com que temos sido consolados.

Chega um momento que o Senhor diz pra nós: ACABOU.

Está na hora de sair desse deserto e de pegar tudo que você aprendeu e repartir com outros. Vou te usar para trazer a outros o consolo e esperança que você recebeu durante todo teu sofrer. Paulo anima aos Coríntios dizendo:

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo. 2 Coríntios 1:3-5

Mais uma vez relembro o texto de Miqueias 6:8. Pratiques a justiça, AMES A MISERICÓRDIA e Andes humildemente com teu Deus. O Sofrimento não só nos ajudará a consolar a outros com a consolação com que nós mesmos fomos consolados por Deus, mas nos ensinará a MISERICÓRDIA.

Ninguém que não já tenha sofrido, poderá dizer para um irmão ou amigo ou vizinho…”eu sei o que você está passando”. Só alguém que já perdeu um ente querido, um pai, uma mãe ou um filho, poderá entender a dimensão do sofrimento de alguém que está passando por esse sofrimento. Só alguém que tem um filho ou filha longe de Deus, sabe a dor e o sofrimento de um pai e uma mãe que estão nessa situação.

São muitas as situações que poderíamos relatar aqui, que nos trazem à mente o propósito de Deus em nos permitir passar por várias provações. Deus quer contar conosco como instrumentos de consolo na vida dos nossos irmãos e das pessoas que nos cercam que por ventura estejam passando por lutas e aflições.

Quando observarmos pessoas carecendo de consolo, tenhamos em nós a disposição que gostaríamos de encontra nas pessoas que nos cercavam quando estávamos no deserto e muitas vezes não encontramos. Lembremos da nossa dor e sofrimento quando isso acontecia, e façamos diferente. Sejamos nós instrumentos de Deus. Manifestação viva do cuidado e amor do Pai para com as pessoas.

No sermão do monte Jesus nos dá a direção:

Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles. Mateus 7:12a

O que Deus espera de nós é exatamente o que nós esperávamos achar em nossos irmãos, familiares, amigos etc. e que muitas vezes não encontramos.

MAS QUANDO ENCONTRAMOS… COMO FOMOS CONSOLADOS POR DEUS!

graça celestial (1)Quero dizer que as mudanças operadas por Deus, não foram nas pessoas que me cercavam. As mudanças operadas por Deus começaram em mim.

Ao longo dos últimos cinco anos, Deus me levou a buscar todas as pessoas que eu tinha algum tipo de problema, tristeza ou amargura e restaurar a minha comunhão com essas pessoas. Houveram muitos erros e equívocos dessas pessoas para comigo, mas, também houveram equívocos da minha parte e que macularam meu coração e me fizeram muito mal.

A minha preocupação não estava em que as pessoas que erraram comigo mudassem, mas Deus transformou a minha forma de ver e de ouvir as coisas. Sentia a necessidade de resolver todas as questões que estavam pendentes e de restituir a quem de direito. O Senhor falou claramente ao meu coração sobre meus olhos e meus ouvidos.

Ele me falou que se meus olhos forem bons, TODO O MEU CORPO TERÁ LUZ, porém, se a luz que havia em mim fossem trevas, QUÃO GRANDES TREVAS SERIAM.

São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso;
se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão! Mateus 6:22-23

Tenho incessantemente orado ao Senhor para que Ele me dê os olhos e os ouvidos dEle, para que, quando eu veja alguém em alguma situação difícil, eu não julgue nem tire conclusões precipitadas. Tenho orado para que eu não tenha pré-conceitos de ninguém, pelo contrário, tenho pedido ao Senhor que quero os olhos dele para ver as pessoas e as situações como o Senhor as vê.

Senhor olhou a multidão e se compadeceu dela.

Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se dela, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E passou a ensinar-lhes muitas coisas. Marcos 6:34

Tenho clamado ao nosso Pai que me ajude nesse desafio que me é feito a cada dia. Quero os olhos do meu Senhor. Quero também os seus ouvidos. Quero ouvir meus irmãos e as pessoas que me cercam com toda a atenção e deferência que merecem. Quero que elas se sintam amadas e acolhidas pela vida de Jesus em mim.

Para finalizar, há uns seis meses estava com um amigo amado, e conversava sobre algumas coisas práticas que o Senhor estava demandando de mim. Pedi a Deus que usasse a boca desse amigo para falar comigo e me desse a direção correta para tomar essas decisões. Nesse dia ouvi claramente a voz do Senhor.

Quando já estava em casa recebi um SMS desse amigo que me dava um texto da Palavra que o Senhor havia posto em seu coração para mim.

Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não o percebeis? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo. Os animais do campo me glorificarão, os chacais e os filhotes de avestruzes; porque porei águas no deserto e rios, no ermo, para dar de beber ao meu povo, ao meu escolhido, ao povo que formei para mim, para celebrar o meu louvor. Isaias 43:18-21

Amo ao meu Senhor, que me fez caminhar pelo deserto nesses 11 anos, mas que não me desamparou um dia sequer. Me deu a nuvem para me proteger de dia. De noite pôs a coluna de fogo para alumiar o meu caminho. Me deu o maná que precisava a cada dia. Não deixou minhas vestes rasgarem e nem incharem meus pés. Me humilhou, me provou, me fez conhecer meu coração e me têm feito BEM!

Eric Lins,
Primavera-verão de 2015

Print Friendly, PDF & Email

Related Articles

Sobre o autor Veja todos os posts Author website

Sérgio Avillez

Pastor que nas horas vagas gosta de fotografar o belo.
Oração: Minha necessidade, meu prazer!